loading
17 Ago

As minhas canções na Televisão

 

Hoje – e porque recordar é viver – falo-vos sobre as canções que já compus para telenovelas e programas de televisão.

Foram muitas, e algumas delas ainda hoje se ouvem. Sejam elas tristes ou mais alegres, foram todas fruto de convites que aceitei com agrado e entusiasmo, já que é maravilhoso poder fazer parte do dia a dia dos portugueses através de música criada por nós.

 

Assim, posso afirmar com toda a certeza, que a música que até hoje marcou mais a televisão portuguesa foi “Anjo Selvagem”, que compus na altura para os MAXI.

Seguem-se depois algumas novelas e programas de televisão, como “Afinal mandam elas”, “Deixa-me Amar”, “Feitiço de Amor”, Sonhos Traídos”, “Morangos com Açúcar”, “Natal em Família”, “Grande Tarde”, “Queridas Manhãs”, entre outros…

 

Faziam ideia? Eu acho que não! Em todo o caso, deixo esta semana esta pequena curiosidade para vocês.

 

Até à próxima quarta!

Beijinhos e abraços

#aboutemanuel #emanuel #blog

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscrever

( 8 )
  • Ana Paula Dantas

    Pois é agora que enumerou algumas eu senti uma saudade pois afinal o Emanuel faz parte da minha vida….O seu trabalho tem feito parte da minha história…..Ainda ontem em conversa com a minha filha falávamos sobre “Anjo Selvagem”…..Ela tão pequenina a cantar e ainda hoje canta….Emanuel mesmo sem saber, o Emanuel faz parte da minha história e, a sua música canta muitos momentos da minha vida….
    Estou emocionada pois veio agora à memória tantas músicas que cantei e canto…E, lembro a minha mãe que dizia:”Ele é tão bonito, deve ser um homem bom.” Mal ela sabia que estava certa….
    Sinceramente espero que me acompanhe muitos e muitos anos e, que continue a cantar para mim e comigo……

    Responder
    • Emanuel

      Eu espero é que a Ana me acompanhe durante muitos e longos anos! É muito bom estar rodeado de pessoas como a Ana, muito queridas e simpáticas. Obrigado pelas suas palavras! Acredite que me dão força para continuar a fazer o meu trabalho da melhor maneira. Continuemos então a cantar, seja o Anjo Selvagem ou outra qualquer, o importante é haver música que nos una! Um grande beijinho e muitas felicidades.

      Responder
  • São Magalhães

    Eu sabia adoro as tuas músicas beijinhos daqui da Alemanha

    Responder
    • Emanuel

      Que bom que sabia! Fico muito feliz :) Obrigado São! Um grande beijinho para a Alemanha :)

      Responder
  • Pedro Santos

    Amigo eu gosto de algumas das suas musicas, e alguns dos seus poemas; é certo que as não conheço todas mas desejo-lhe felicidades para que quando cv partir pois que o fará como todos nós a sua obra fique e que como a de outros grandes musicos, se torne como Choupan, Vagner ou outros que será só e já não é pouco pois que as obras dos homens pouco sinificado lhes é atribuido e quando permanecem por longos milenios aparece sempre um barbaro para as destruir. Casos recetes que vc bem conhece. dejeijo~lhe toda a sorte para os seus trabalhos pois que são a unica coisa boa que dignifica o homem Um abraço MP

    Responder
    • Emanuel

      Caro Pedro, muito obrigado pelo seu comentário. Deixarei um legado de música, isso é certo, mas não é isso que me faz viver; é tornar as pessoas felizes que me dá alento e força para fazer aquilo que gosto! É um grande elogio comparar-me a grandes compositores, como Choupan e Vagner, muito obrigado! Um grande abraço e muitas felicidades

      Responder
  • Ricardo Lopes

    É por estas razões, que defendo a existência de um livro autobiográfico. Uma história de vida tão rica (em valores da vida) e receada de êxitos.
    Indubitavelmente, o Emanuel já tem um lugar na história da música portuguesa. Um Homem que se entregou a uma profissão com muita convicção e paixão. A arte de criar, mais uma vez fica patente em êxitos de telenovelas. Não lhe deu o rosto mas deu-lhe a alma… Sei que esse trabalho “invisível”, lhe dá muito gosto fazer (trabalho de estúdio).

    Um forte abraço

    Responder
    • Emanuel

      Defende essa existência e defende muito bem! Próximos capítulos se avizinham, se é que me entende! :)
      De facto, o Ricardo conhece-me bem: não sou um homem de ribaltas, sou sim um mero “operário” da música, como me costumo adjetivar…
      Obrigado, mais uma vez, pela sua presença e pelas simpáticas palavras! Um grande abraço e tudo de bom!

      Responder